1987.

21.7.11

     Tinha que ser nesse dia.
     Nos primeiros minutos do dia 21 de julho de 1987 cheguei ao mundo.
     Fruto de um recente casamento, vim ao mundo conforme planejado. Meus pais me desejavam, desde o inicio.


     Nunca fui uma criança levada. Sempre bem comportado, arrumadinho. Era aquele tipo de criança que quando se machucava, era capaz de meu pai chorar por mim. Para minha mãe eu era um anjo, para minhas tias e primas, um principe.
     O amor sempre me cercou, era o protegido, o paparicado, o netinho da vovó.
     Com o tempo, o jeito moleque surgiu. Passei a aprontar com a galerinha da rua e deixar de ser o filhinho da mamãe, mas nunca deixei de ser o bom filho, só que agora era mais espevitado que antes.
     Segui os passos da religião católica firmemente. Era apaixonado pela Angélica, deixei de gostar de estudar e aprendi que o bom mesmo era viver. Nunca tive malícia, sempre via a bondade, acima de tudo, nas pessoas. Sempre acreditei nas pessoas, que os homens poderiam ser felizes respeitando o espaço de cada um.


     O tempo passou e logo a doce criança foi deixada para trás. Logo busquei meu espaço, ter voz nos meus ciclos sociais, mostrar minha identidade, quem eu era.
     Sempre sorrindo. Lágrimas? Eram dificeis de correr. A felicidade sempre foi uma companheira, mas logo descobri que a vida preparava grandes surpresas.
     Brinquei, dancei, sorri, chorei, sem medo de viver, de aprender. O melhor de tudo é que quanto mais descobria algo, mais sabia que precisava descobrir algo novo. Nunca me senti suficiente. Para mim, sempre poderia aprender mais. E era verdade.
     Nessa vida, ao longo dos meus 24 anos, escrevi muitas páginas, mas nunca rasurei ou arranquei nenhuma delas. Ao passar as páginas do grande livro da minha vida, descobri que muita coisa conquistei e que errei também, porém tive capacidade de reescrever os outros capítulos de forma diferente. Percebo que ainda há diversas, centenas de páginas em branco pela frente, e espero poder escrever essa história sempre com sabedoria.


     Quero agradecer a todos que me ajudaram a fazer da minha história um sonho, pois muitas vezes este livro foi escrito não só com duas mãos, mas quatro, seis, as vezes com mais de dez, e me orgulho disso.
     De 1987 a hoje, muita coisa aconteceu, e daqui pra frente novas coisas acontecerão... Espero poder viver este dia o tempo necessário para faze-lo irresistivel.
     Familia, amigos, companheiros de vida, obrigado por tudo. Obrigado meu querido Pai por me fazer seu filho. O que te peço hoje? Que este momento seja inesquecivel!
  

Comente com o Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Então, gostou? Me diz o que achou.

Rede Socias

Sigam Nosso Facebook

Entre Eles - 2017 • Todos os direitos reservados • Host: Blogger • Desenvolvido por Quercio Santos
topo